"Foi uma aventura, para mim, ingressar numa área ainda considerada para homens. " Mariana Silveira
Técnica de Viticultura e Enologia
20 Anos

Mia Couto nos Açores no rasto de Gungunhana


O escritor moçambicano Mia Couto encontra-se a escrever o segundo romance da trilogia “As Areias do Imperador”, da editorial Caminho. O primeiro, “Mulheres de Cinza” foi publicado em setembro de 2015. Esta trilogia debruça-se sobre os derradeiros dias do chamado Estado de Gaza, o segundo maior império em África dirigido por um africano. Ngungunyane (ou Gungunhane como ficou conhecido pelos portugueses) foi o último dos imperadores que governou toda a metade Sul do território de Moçambique. Derrotado em 1895 pelas forças portuguesas comandadas por Mouzinho de Albuquerque, o imperador Ngungunyane foi deportado para os Açores onde veio a morrer em 1906.


No próximo dia 6 de maio, Mia Couto estará na ilha Terceira tendo-se disponibilizado a participar num encontro onde se propõe responder também a questões colocadas pelos alunos do 3º ciclo e ensino secundário das escolas dos Açores.


Deste modo, e com transmissão online, das 10h00 às 11h00, a partir do Auditório António Dacosta, da EBS Tomás de Borba, através da Azores Global  TV, convidam-se todos os alunos a assistir e a formularem questões a Mia Couto sobre a sua vida e obra. As perguntas deverão ser discutidas e elaboradas em aula e remetidas para a DRE até ao dia 3 de maio, devidamente identificadas com o nome e ano de escolaridade Todas as questões serão entregues ao escritor Joel Neto que selecionará as perguntas e conduzirá a entrevista com o escritor. 

Galerias relacionadas