"Um bom professor é também um bom amigo." André Neto
Estudante
13 Anos

Projeto de Filosofia para Crianças na EBS Vila Franca do Campo


O projeto de Filosofia para Crianças da Escola Básica e Secundária de Vila Franca teve o seu início no ano letivo 2014/2015 com duas turmas do 1.º ciclo da Escola Santos Botelho. No ano letivo 2015/2016 alargou-se a uma turma do pré-escolar (crianças de 5 anos).


É um programa de filosofia prática que visa desenvolver as capacidades de raciocínio e do pensamento em geral, assim como as capacidades de verbalização do pensamento e aspetos cruciais da construção da comunicação, como o confronto de ideias e a reflexão em grupo.


Tal significa que se motiva, por exemplo, a verbalização, o uso de operadores lógicos, como a diferença e a inferência, a autocorreção, a escuta, a relação argumentativa, o alargamento do horizonte do pensamento e a apreensão dos cambiantes da interpretação. A inegável componente práxica de FpC, desenvolve nas crianças a consciência de pertença comunitária, regida pelos valores da autonomia, tolerância e solidariedade, deve ser proporcionada num ambiente não disruptivo. 


Ensina a pensar pensando. Um pensamento crítico, criativo e valorativo através do treino das…

a) capacidades de raciocínio, tais como a classificação e a identificação de suposições;

b) capacidades lógicas, tais como a identificação de contradições;

c) capacidades de investigação, como a descrição, a explicação e a identificação e esquematização de problemas e de hipóteses;

d) capacidades concetuais, como a de identificação do que fica fora ou dentro de um determinado conceito como a justiça ou a verdade;

e) capacidades de tradução, tais como a de parafrasear o que outras pessoas dizem;

f)  capacidades sociais e interpessoais, como a de construir uma ideia de grupo.


Podem as crianças filosofar?


FpC não pretende que todas as crianças se tornem filósofas profissionais. Contudo, a curiosidade, o espanto e o deslumbramento são caraterísticas do ser humano desde a sua mais tenra idade.

Mathew Lipman  testemunha que todos os meninos e meninas que experimentaram a filosofia mostram que são capazes de brincar com as habilidades de raciocínio, mas, além disso, revelam-se cheios de perguntas e vontade de conversar inteligentemente sobre elas, assim como uma sensibilidade apurada para as questões tradicionalmente do foro filosófico, como “O que é a Justiça?”, “Qual a natureza das ideias?”, “Como sabemos o que sabemos?”


 Vantagens da Filosofia para Crianças:


a) aprender a ouvir o outro;

b) praticar a aprendizagem da verbalização das ideias e os conceitos;

c) promover modos de identificar e ultrapassar confusões e ambiguidades;

d) descobrir o prazer de brincar com as ideias e os conceitos;

e) aprender a identificar várias perspetivas sem cair no relativismo de opinião;

f) mudar de opinião à luz de novas razões e discussão sobre a sua validade;

g) desenvolver a capacidade de concordar e discordar;

h) descobrir a reflexão cooperativa;

i) construir a identidade permitindo o crescimento saudável da autoestima;

j) refletir, de um modo filosófico, sobre questões diversificadas.

 

Metodologia:

 

As sessões começam com um estímulo: leitura de uma história filosófica ou um pequeno episódio de uma história filosófica, apresentação de uma imagem, um jogo, entre outros. Os estímulos são selecionados de modo a suscitar perguntas sobre temas filosóficos e muitas vezes as personagens são crianças que fazem perguntas e conversam sobre estes mesmos temas. De seguida os participantes fazem perguntas sobre o estímulo.

 

a)       A pergunta como modo de abrir, problematizar e construir saberes;

b)      A investigação criativa como modo de pensar a nossa realidade individual e social;

c)       O debate participativo, aberto e fundamentado como prática do conhecimento;

d)      A democracia como forma de respeitar e valorizar as nossas diferenças;

e)      O trabalho solidário e colaborativo como modo de agir em educação;

f)        A resistência crítica frente a qualquer forma de imposição.